• Webbanner Mosca
  • Minimanual virtual Planserv
  • Cadastro de Mídias na Secom

Noticias

31/03/2017 16:40

Após denúncia, ADAB em Miguel Calmon apura comércio de mudas ilegal

Após denúncia, ADAB em Miguel Calmon apura comércio de mudas ilegal


No último sábado (25), no município de Miguel Calmon, a Agência Estadual de Defesa Agropecuária da Bahia (ADAB), órgão vinculado a Secretaria de Agricultura (SEAGRI), recebeu denúncia de comércio irregular de mudas de diversas espécies, próximo a feira livre da cidade.

Uma equipe da ADAB, da Coordenadoria de Miguel Calmon se deslocou até o local para apurar a ocorrência. Contando com o apoio da PM, constatou-se a existência de 480 unidades de mudas oriundas de outros estados.

Mediante legislação vigente (Portaria nº 211, de 18 de novembro de 1997), alertamos a população quanto ao risco de inserir doenças em nosso estado, que poderão até dizimar plantações, devido a existência de fungos, bactérias e insetos nas mesmas, a exemplo do "cancro cítrico, clorose variegada dos citros; moko, moleque e mal do Panamá da bananeira; diversas espécies de nematóides em cafeeiro, bananeira, citros; fusariose do abacaxizeiro, espécies de mosca branca, etc.".

No caso de material propagativo de Citros - mudas de laranjeiras, limoeiros, tangerineiras e limeiras, a Coordenadora do projeto Fitossanitário dos Citros, Drª. Suely Brito, alerta para o risco de introdução de pragas como Cancro Cítrico, Morte Súbita e Huanglongbing dos Citros (HLB, ex - "Greening").

No sentido de proteger o território baiano de novas pragas, a exemplo do Hunaglongbing dos Citros, é terminantemente proibido o ingresso, comércio e plantio de mudas do Gênero Citrus e da Murta (Murraya paniculata, espécie ornamental) cuja a origem tenha sido o Paraná, São Paulo e Minas Gerais (estados de ocorrência da praga).

Um estudo econômico realizado por José Mário Carvalhal de Oliveira, servidor da ADAB e conduzido em parceria com a EMBRAPA Mandioca e Fruticultura, Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB) e Universidade de São Paulo (USP), concluiu que se o HLB dos Citros entrar e se estabelecer no território baiano, num horizonte de 20 anos e na ausência de ações de manejo, os prejuízos econômicos serão da ordem de 1,8 bilhão de reais para a cadeia produtiva dos citros.

Constatado o comércio de mudas clandestinas e/ou com restrição de ingresso no estado da Bahia, o material é sumariamente apreendido e destruído pelos prepostos da ADAB, e em caso de reincidência, segundo o Decreto Estadual nº 11.414, de 2009, o qual regulamenta a Defesa Sanitária Vegetal na Bahia, o transportador pode ser autuado por estar disseminando pragas.




Wagner Machado
Assessoria de Comunicação
noticia.ascom@adab.ba.gov.br
www.adab.ba.gov.br
Tel./Fax: (71) 3116-8461





Fonte: ASCOM/ADAB-BA

Recomendar esta notícia via e-mail:

Campos com (*) são obrigatórios.